Danielbiologo's Blog

Dia do Pedal 2011

Posted in Cicloturismo Urbano, Pedala Floripa e Bicicletas por aí..., Pedaladas... by danielbiologo on 3 de maio de 2011

Dia do Pedal 2011,

promoção do SESC em várias cidades de SC.

Clique sobre as mini fotos para ver as mesmas.

Dia do Pedal 2010, clique aqui

Debate na TV Câmara de São José.

Posted in Cicloativismo, Cicloturismo Urbano, Publicados por aí ... by danielbiologo on 16 de abril de 2011

Debate na TV Câmara São José em 14/04/2011 sobre o uso da bicicleta como meio de transporte em São José/SC. Participação do Presidente da ViaCiclo Daniel de Araujo Costa. Visite http://www.viaciclo.org.br

Programa da TV Câmara de São José para  debater a Lei do Vereador Moacir da Silva, para que repartições Públicas e outros tenham Bicicletários.


Transitar – Educar para humanizar o trânsito

Posted in Pedala Floripa e Bicicletas por aí..., Textos Diversos Recebidos by danielbiologo on 25 de setembro de 2010

Enquanto o Homem não “acorda” para a poluição que os motorizados (combustível fóssil) emitem em nosso ar e não “quer” reinventar a idéia de que tem que ser de carro. É necessário que se cumpram algumas regras para transitar por aí….

Cartilha distribuída e produzida pela Prefeitura Municipal de São José -Secretaria de Segurança, Defesa Social e Trânsito -Guarda Municipal de São José.

Por um trânsito mais humano = Respeito ao CTB

Posted in Meio Ambiente, Pedala Floripa e Bicicletas por aí..., Publicados por aí ... by danielbiologo on 22 de setembro de 2010

1º Passeio Ciclístico de São José.

Posted in Pedala Floripa e Bicicletas por aí... by danielbiologo on 18 de setembro de 2010

Vou participar, até lá pedalo uns 25km, participo no passeio que deve ter uns 5km e retorno mais 25km. Pedalzinho solo de sábado.

Vou de Bike

A história se repete, destruíndo a história!

Posted in Meio Ambiente, Pedala Floripa e Bicicletas por aí... by danielbiologo on 27 de agosto de 2010

Mais uma vez, em função do “carro”, mais uma “destruição”! Sim, afinal pelo absurdo aumento de automotores nas ruas e querendo “criar” espaço para eles é que destruímos cada vez mais tudo ao seu redor. Em uma cidade aproximadamente 50% de sua área é construída/planejada(?)/ocupada em virtude dos automóveis e ainda assim, a cada dia queremos botar mais, e mais carros nas ruas. O que é feito então? “Desapropriamos” residências, aterramos mangues, aterramos o mar, botamos um viaduto na sua janela, um túnel no teu quintal e assim vamos retirando o espaço daqueles, para os quais as cidades foram feitas, as Pessoas !

No caso deste artigo do DC, um casarão histórico foi derrubado para criar um estacionamento, destruindo história e colocando carros em cima. Como disse antes poderia ter sido um rio, uma praia, minha ou a tua casa, uma pracinha (as cidades tem muito pouca área verde) …. só por causa de um carro?

E só falei do espaço físico ocupados pelos automotores, ainda temos a poluição do ar (gravíssimo), mortos e feridos devido ao seu mal uso, etc….

Clique sobre a imagem para ir ao original no Diário Catarinense.

AUDAX Floripa 200Km

Posted in Pedala Floripa e Bicicletas por aí... by danielbiologo on 22 de março de 2010

Dia 20 fui bem cedo ao “Congresso técnico”e jantar da massas para retirar meu kit para o AUDAX Floripa 2010. Cheguei quando o Della e staff organizavam os Kits.  Enquanto esperava o “rango” fiquei encontrando outros ciclistas e “batendo papo” o tempo foi passando. 19h a galera subiu ao local onde seriam servidas as “massas”.

De volta para casa para arrumar os últimos detalhes e tentar descansar, fui dormir lá pelas 23h, para acordar 4:30h, fazer a checagem da bicicleta até 5:30 e partir as 6h.

5;10h estava  no ponto de partida na esquina da Av. Madre Benvenuta com Av. Beira Mar Norte e  pouco a pouco toda a esquina estava com bicicletas, seus “pilotos”, familiares e amigos e claro todo o staff da organização. A hora se aproximava e a galera começou a passar para o outro lado do portal para a tão esperada largada do AUDAX Floripa.

6:15 h …. largamos a fila de bicicletas com a escolta da Polícia andava devagar pela Av Beira Mar Norte onde normalmente carros andam acima da velocidade permitida e “ninguém” acha ruim, agora quando mais de duzentas bicicletas passam sem poluir, sem causar riscos as pessoas, sem causar congestionamentos, precisamos de escolta para não ser literalmente massacrados pelas buzinas e parachoques de automotores conduzidos por Idiotas. Bem até depois da ponte a “massa crítica” de bicicletas – bem que poderia ser a Bicicletada Floripa – transitava devagar, mesmo assim foi uma cena muito legal a serpente gigante de bicicletas dominando só(?) uma faixa de rolagem.

E claro, pelo menos uma vez, legalmente, foi permitido atravessar a ponte de bicicleta.

Atravessamos a ponte e pedalando até São José e os ciclistas iniciam a separação de acordo com os ritmos de pedal. Neste primeiro trecho pedalei um pouco mais forte do que provavelmente deveria.  Na ciclovia da BeiraZé estava a mais de 30km/h e final desta, mais um flagrante desrespeito com pedestres e ciclistas.  Sempre que precisam arrumar “algo”nas ruas são eles que são “excluídos” e que passem por cima dos “obstáculos” ou melhor não passem, deixem apenas para os automotores com o Direito garantido de transitar ?!?! Neste momento quase sofri um acidente pois vinha vindo pela via e como prestava atenção em pedestres que se aproximavam não reparei, muito menos poderia ter imaginado que “terminariam” a ciclofaixa sem sinalização com um meio fio repleto de terra e pedras e passei por cima muito rápido conseguindo apenas aliviar um pouco o impacto “pulando”com minha magrela mas, sem impedir de bater por um par de vezes os pneus …. passei .

De volta a Ilha e pedalando ao lado de Peter cox (já completou um AUDAX 600km) passamos pela Base Aérea para sair na Tapera e logo depois o PC 1, onde fizemos uma rápida parada para hidratação, apenas tomei algo gelado pois como o próprio “espírito” da prova diz, que precisamos ser autosuficientes, eu tinha alimento, água ( quente rsrsrsrs) e outras prováveis necessidades.

Pedalando em direção ao Pântano do Sul ao lado do Luiz Faccin (Paris/Brest/Paris com mais de 1200km, atualmente é o único Brasileiro a obter a medalha de “Randonneurs 5000). E depois passando na “porta”de casa, onde fiz uma parada por conta própria por estar com início de cãimbras para alongar e tomar um  Caldodecana.com, tomei dois, e enfrentar uma das vias mais perigosas de Floripa, a rua Osni Ortiga razão da da luta do Movimento Ciclovia na Lagoa Já.

Pedalando e pedalando os km foram ficando para trás, passamos pelo Rio Vermelho onde está o Parque Estadual do Rio Vermelho, administrado pela Fundação do Meio Ambiente de SC – FATMA, aqui um sério incidente ocorreu, um motorista em um Gol preto passou propositalmente tirando fina com “raiva” de minha bicicleta e logo em frente atingindo o guidão da bicicleta de Peter, em mais um estúpida atitude de mais um irresponsável ao volante de um carro !!! Bem mais adiante no PC 3, depois de ter passsado pela Praia do Santinho, Lagoinha, Ponta das Canas, mais um pouco de alongamento pois as cãimbras insitiam em incomodar, além de uma pose pata foto com o Peter Cox. Kilometros depois passei pela SC-401 em frente ao Centro Administrativo do Governo de SC, onde será realizado o 1 Fórum das Américas de mobilidade nas Cidades dias 22,23 e 24 de março, no qual estarei participando representando a Fundação do Meio Ambiente de SC.

Os últimos e poucos kilometros foram os mais difíceis, passando pelo João Paulo e Saco Grande, bairros com terreno bem ondulado, onde as pequenas subidas queimavam a musculatura cansada, além das cãimbras por toda a perna direita, (ainda bem que os parafusos do joelho não afrouxaram hehehe), tentei até onde deu mas no meio desta “subidinha” fui obrigado a empurrar por uns 100 m. Chegamos na ciclovia e alcançamos a Av. Beira Mar Norte e umas centenas de metros depois avistei a chegada, comecei a apitar com meu “super apito” anunciando minha chegada … apesar de estar meio parado nestes últimos dias completei até que bem, passei apenas 20 minutos do que havia previsto mas com muito tempo de sobra. Minha magrela se comportou bem, não furei pneu e vi muitos pelo caminho, e como é o espírito do AUDAX sempre ao avistar alguém parado ofereci ajuda, por sorte de todos nada aconteceu fora das expectativas de uma prova deste tipo.

Dados adquridos pelo GPS e ciclocomputador:

Distância total; 203,43 kilometros || Média de velocidade 22,2km/h || Velocidade máxima 74,9km/h || Horas pedaladas 9:07 h e tempo de prova 10:20 h.

Enfim, o evento esteve bem organizado e a galera toda se comportou bem, a única crítica que faço é em relação a medalha, um evento deste porte merece uma Medalha mais “elaborada”, talvez esteja mal acostumado pois nas corridas de rua ganhei medalhas muito bonitas com muito menos esforço?!?! Todos os “incidentes”que tive na prova foram em função de motorizados e seus energúmenos condutores, a ultrapassagem no Rio Vermelho já relatada, em Ponta das Canas quase atropelados por um bêbado dirigindo e batendo numa mulher que tentava pular do carro em movimento e este transitando em velocidade com a porta aberta costurando na rua, realmente uma cena chocante! E claro e estúpida velocidade de muitos e muitos carros que ultrapassam sem um mínimo de respeito a vida e as Leis.

E a noite um “rango” para recuperar as energias “perdidas”