Danielbiologo's Blog

Turismo em Santa Catarina.

Posted in Uncategorized by danielbiologo on 21 de outubro de 2011

Turismo em SC

SC só tem as belezas naturais, pois infraestrutura, transporte coletivo, ciclovias, acessibilidade etc. quase não existem. Temos que aliar a cultura do Estado, suas belezas naturais, algumas delas conservadas na forma de unidades de conservação e infraestrutura, com sustentabilidade de verdade, para aí, sim, podermos dizer: temos turismo de verdade!
Clique sobre o texto para ler publicado no DC

Daniel Costa – Biólogo
Florianópolis

  Santa Catarina melhor destino turístico do Brasil! Só temos as belezas naturais, pois infraestrutura, transporte coletivo, ciclovias, acessibilidade, etc, não temos quase nada. Se apenas com as Belezas Naturais estamos assim imaginem se houvesse tudo que o turismo realmente precisa? E ainda temos aquilo que atrai o turismo, sendo destruído inclusive com apoio de Leis que reduzem Áreas de Preservação Permanente, quase todas elas, Belezas Naturais. Temos que aliar a Cultura do Estado, suas Belezas Naturais, algumas delas conservadas na forma de Unidades de Conservação e infraestrutura com sustentabilidade de verdade, para aí sim podermos dizer, temos turismo de verdade!

sete de setembro de 2011

Posted in Falta de Educação, Respeito e Bom Senso., Uncategorized by danielbiologo on 7 de setembro de 2011

Só no dia de hoje, 7 de setembro, em apenas um jornal três matérias sobre a desonestidade, corrupção, etc …
“Precisa-se de Matéria Prima para construir um País”



7 de setembro de 2011

MARCHA CONTRA A CORRUPÇÃO

Inicialmente restrita a uma convocação informal pelas redes sociais, a mobilização com o objetivo de aproveitar a data da comemoração da independência para uma marcha contra a corrupção em diferentes cidades do país ganhou o reforço de algumas das instituições mais relevantes da sociedade civil. No Brasil, esse tipo de ação ainda é incipiente e tem sido pouco usado, mesmo quando o tema envolvido provoca rechaço generalizado, como é o caso da falta de ética na política e na gestão pública. Ainda que nem sempre quem se manifesta pela internet costume partir para ações concretas na prática, a iniciativa é importante, principalmente pelo fato de aliar civismo com a luta pela moralização. É óbvio que os atos não podem querer se sobrepor aos relativos à data máxima dos brasileiros, muito menos tentar burlar a ordem ou a lei.

Em situações anteriores, bem distintas da atual, a sociedade já conseguiu demonstrar que a pressão das ruas pode ser decisiva para uma mudança de rumos do país. O episódio mais marcante foi o dos caras-pintadas, no início dos anos 1990, quando a indignação dos brasileiros contra o descalabro na gestão pública acabou contribuindo até mesmo para levar um presidente da República a se afastar do cargo. O atual inspirou-se na “faxina” ética promovida pela presidente Dilma Rousseff, com o apoio incondicional da população, que agora gostaria de ver o trabalho ser levado até o fim. Mas o que reforçou o movimento foi a decisão da Câmara de livrar a deputada Jaqueline Roriz (PMN-DF), filmada ao embolsar dinheiro suspeito, de processo de cassação. O episódio deixou evidente que, sem pressão popular, quem ganha são os malfeitores do Estado.

A sociedade age com civismo ao cobrar mais rigor do Executivo no caso dos corruptos, maior disposição do Congresso em punir políticos denunciados por excessos e menos lentidão do Judiciário no exame de denúncias. Mas é importante que, diante das limitações dos órgãos de fiscalização, apesar dos avanços registrados nos últimos anos, possa contar com o respaldo de entidades com tradição na luta pelas liberdades e pela ética. É o caso das que manifestaram apoio aos atos previstos para hoje, como a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e a Associação Brasileira de Imprensa (ABI), além de integrantes da Frente Parlamentar Anticorrupção. Entre os objetivos, estão justamente alguns mais defendidos pelo conjunto dos brasileiros, como mais pressa no julgamento de processos envolvendo casos de desvios, mais transparência nos gastos públicos e corte no número de cargos comissionados.

Estimativa recente demonstrou que, no mínimo, R$ 50,8 bilhões são desviados a cada ano no país, o equivalente às ações concluídas no âmbito do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) num prazo de três anos. Os brasileiros precisam fazer sua parte para que esse montante possa retornar de fato a áreas mais carentes atendidas pelo setor público.

Original no DC aqui.

7 de setembro de 2011

Corrupção e mobilização, por Affonso Ghizzo Neto *

O fenômeno da corrupção no Brasil e suas consequências nefastas para toda a população devem ser compreendidos a partir da própria sociedade. No Brasil, os mecanismos legais de fiscalização e de controle não se prestam efetivamente aos objetivos oficiais a que se destinam, servindo como mera formalidade para justificar práticas corruptas institucionalizadas. Segundo o jornal Folha de S.Paulo, de 2002 até 2008, o Brasil perdeu cerca de R$ 40 bilhões por causa da corrupção, dinheiro que deixou de ser aplicado nas políticas públicas, como segurança, saúde, educação, etc.

A corrupção nacional é decorrência da moral predatória característica dominante no Estado patrimonial, que, conscientemente ou não, formatou um conjunto de padrões sociopolíticos de comportamento ético adverso às formas racionais mais modernas de trato da coisa pública.

Movimentos sociais, revoluções deflagradas, reformas administrativas e processos eleitorais são levados a efeito, todos sem resultados efetivos no combate ao fenômeno da corrupção nacional, restando sólida a mentalidade e os métodos de condução da coisa pública. Parece que, cada vez mais, se apresenta modernamente um grande volume de valores morais negativos, seja no trato da coisa pública ou no da propriedade privada, adquirindo a corrupção formas mais sofisticadas e planejadas, conforme as necessidades apresentadas a cada tempo.

Estaria tudo, então, perdido? Evidente que não! Como confirma Paulo Freire, nenhuma realidade é assim mesmo e pronto. Toda afirmação fatalista neste sentido é mentirosa e ideológica. Toda realidade está sujeita à tentativa da nossa interferência nela. Assim, quando, espontaneamente, milhares de brasileiros se mobilizam em “um 7 de setembro” contra a corrupção, longe de uma solução mágica, verifica-se uma nova possibilidade pautada pela consciência coletiva e pela mobilização social. Afinal, o que todos nós temos a ver com a corrupção?

* PROMOTOR DE JUSTIÇA E IDEALIZADOR DO PROJETO O QUE VOCÊ TEM A VER COM A CORRUPÇÃO?Original no DC aqui.

7 de setembro de 2011

Legalizar a corrupção?, por Volnei Carlin *

Mesmo num pequeno livro como o Peso da Borboleta, de Erri de Lucca, pode-se ver um texto denso, reflexivo e realista. É um desses autores que insinuam o colapso de valores e a negativa do direito de sonhar, deduzindo-se que se vive na obscura era das incertezas e dos males da corrupção. Assim, quando nos deparamos, diária e crescentemente, com um desfile de sucessivos e escabrosos escândalos expostos com regularidade e desnudados cruamente aos olhos do país, chega-se ao cerne da malha de relacionamentos das forças políticas e econômicas que se apropriam criminosamente do dinheiro dos contribuintes. O quadro é alarmante, e o nível das revelações ilícitas impressiona. No mais, “qualquer cidadão se apercebe do quão leniente a lei fica ao se aproximar dos poderosos” (Sérgio Telles, O Estado de S. Paulo, 23/07/2011), embora a tímida Justiça já tenha até condenado Cacciola.

Em nossos tempos, os que lesam o patrimônio público se escondem por trás das instituições de que fazem parte, consequência de administrações onde tudo é possível aos agentes públicos. Hoje, regras e princípios formam escudos corporativos cheios de imunidades. Vemos matilhas sempre afiando as unhas e os dentes à espera de se refestelarem nas engrenagens institucionais, com desprezo à opinião pública, que almeja retidão de caráter e decência, apesar de, entre nós, já conceba a ideia de que estão apenas no terreno da ficção, pois a sociedade está condenada.

Nesses casos, tornam-se inglórios os embates contra os malfeitos, havendo lógica e mórbida lucidez dos quadrilheiros que agem mediante propinas, motivo suficiente para que todos os tipos de corrupção passem a ser legalizados, dando-lhes legitimidade, cobrando-se impostos e concessão aos benefícios previdenciários. Seria uma nova forma de melhor realizar o Direito, inaugurando-se uma pseudoética política (Max Weber). Enfim, é inadmissível essa dormência coletiva, criada pela apatia, pela insensibilidade e a acracia, conivente com ooportunismo daqueles que fazem da política a realização da deontologia dos resultados ilícitos.
* DOUTOR EM DIREITO
Original no DC, aqui

Dia do Sexo …

Posted in Uncategorized by danielbiologo on 6 de setembro de 2011

Dia do Sexo: dez motivos para comemorar

Atividade sexual traz benefícios para a saúde

No dia 06 de setembro — sugestivamente, 06/09 — é comemorado o Dia do Sexo. A data é celebrada desde 2008, após uma ação de marketing de um fabricante de preservativos.

Algo tão bom quanto o sexo nem precisaria de motivos para ser praticado, certo? De qualquer maneira, Donna online lista 10 ótimas razões para aproveitar a ocasião e comemorar.

01) Sexo alivia as crises de enxaqueca
Dor de cabeça não é desculpa para fugir da relação. Pelo contrário. Segundo o ginecologista Neucenir Gallani, o orgasmo libera substâncias que atuam no sistema nervoso, como endorfinas.

— Elas diminuem a sensibilidade à dor — explica.

02) Sexo fortalece os ossos
Uma frequência regular de relações sexuais aumenta o nível de estrogênio no organismo. O hormônio feminino tem efeito protetor na saúde óssea, especialmente em mulheres que estão ou já passaram da menopausa.

03) Sexo combate a incontinência urinária
De acordo com Gillian Vanhegan, do Royal College Obstetricians and Gynaecologists, no Reino Unido, o sexo é uma boa forma para fortalecer a musculatura pélvica, que detém a urina. Conforme a idade avança, esses músculos vão enfraquecendo e a mulher pode desenvolver incontinência.

04) Sexo alivia as cólicas da TPM
Não é regra, mas acontece com algumas mulheres. Os movimentos realizados no ato sexual estimulam os órgãos internos, que ficam mais relaxados. Com isso, há diminuição das dores nos dias que antecedem a menstruação.

— Mas há mulheres que, na fase pré-menstrual, não têm disposição para o sexo e forçar a barra pode ser pior — alerta o médico Neucenir Gallani.

05) Sexo melhora o aspecto da pele
O que, para muitas, é apenas ditado popular, na verdade é comprovado por cientistas. Um estudo realizado pela Universidade Queens, no Reino Unido, apontou que o orgasmo libera hormônios ligados ao brilho e à textura da pele e dos cabelos. Além disso, a vasodilatação e o aumento da temperatura corporal causados pela atividade sexual contribuem para uma pele mais viçosa.

06) Sexo melhora o sono
O relaxamento que o orgasmo traz contribui para que você durma melhor — e não apenas no dias em que houver sexo. A reação tem efeito prolongado, devido à ação dos neurotransmissores que passam a agir no organismo com mais regularidade e numa quantidade maior.

07) Sexo diminui o estresse
O prazer associado ao sexo e às relações afetivas causa maior estabilidade emocional. Com isso, os níveis de estresse tendem a diminuir. O cortisol, conhecido como hormônio do estresse, também tem sua produção reduzida, conforme explica um estudo escocês publicado na revista Biological Psychology.

08) Sexo queima calorias
Segundo a Associação Americana de Educadores e Terapeutas Sexuais, meia hora de sexo queima, em média, 85 calorias. Imagine o efeito acumulado de quem pratica o “exercício” regularmente…

09) Sexo aumenta a imunidade
Um estudo feito pela Wilkes University, nos Estados Unidos, mostrou que uma vida sexual ativa aumenta os níveis de um anticorpo responsável pela proteção do organismo contra infecções, gripes e resfriados.

10) Sexo ajuda a envelhecer melhor
Um estudo da Universidade da Califórnia (EUA) mostrou que mulheres que transam com regularidade têm uma velhice mais tranquila. Os pesquisadores concluíram que uma rotina sexual ativa após os 60 anos contribui para a qualidade de vida e a felicidade.

Original aqui = Donna

Tagged with:

NOVO LÍDER NACIONAL

Posted in Textos Diversos Recebidos, Uncategorized by danielbiologo on 6 de setembro de 2011
6 de setembro de 2011

Facebook perto de bater o Orkut

Balanço de agosto, a ser divulgado nas próximas semanas, deve confirmar a liderança da rede social de Mark Zuckerberg

O Facebook pode ser o novo líder das redes sociais no Brasil. A expectativa é de que o site criado por Mark Zuckerberg tenha superado o Orkut em número de usuários brasileiros. Os dados oficiais devem ser divulgados nas próximas semanas.

Ontem, reportagem da revista IstoÉ Dinheiro chegou a anunciar que teve acesso em primeira mão aos números do Ibope do próximo ranking de audiência na internet, referentes ao mês de agosto deste ano.

Segundo a publicação, os dados revelam que o Facebook desbancou o Orkut e hoje é a maior rede social do país. Os números exatos não foram publicados, mas estima-se que a rede social de Zuckerberg deve registrar cerca de 30 milhões de usuários, enquanto o Orkut, comandado pelo Google, teria cerca de 29 milhões.

Ainda ontem, o Ibope divulgou uma nota de esclarecimento questionando as informações divulgadas na revista IstoÉ Dinheiro.

“O Ibope Nielsen Online esclarece que os dados de audiência de internet referentes a agosto ainda não foram finalizados, portanto, a empresa não confirma os dados publicados na matéria da revista IstoÉ Dinheiro desta semana e desconhece a fonte da reportagem”, diz a nota.

Foram dois anos para conquistar o público

O Facebook apresentava há dois anos pouco mais de quatro milhões de visitantes no Brasil, de acordo com o ranking de audiência da web brasileira utilizado como referência no mercado digital (veja quadro ao lado). Já o Orkut reinava folgadamente, em 2009, com 27 milhões.

Dois anos depois, porém, o quadro mudou bastante. Os últimos dados oficiais, de julho deste ano, apontam 28,8 milhões usuários brasileiros do Facebook contra 29 milhões do orkut. Em todo o mundo, o Facebook tem 750 milhões de usuários e o orkut cerca de 60 milhões.

Você sabe o que é o Parque Estadual da Serra do Tabuleiro?

Você pode ir clicando conforme vai lendo ou pode ver no modo automático mas, a leitura tem que ser rápida, então recomendo que faças a apresentação manualmente, clique no quadradinho e depois nas setinhas. BOA LEITURA !


Este slideshow necessita de JavaScript.


novembro 2009 

 

Transporte Coletivo X Perder aula X Pto de ônibus

Posted in Uncategorized by danielbiologo on 2 de julho de 2011
Caminhando...

Caminhando...

Não achei outro título melhor para nomear o fato ridículo de hoje.
Sábado chuvoso, acordo 5:30, arrumo minhas tralhas para a saída de campo da especialização. Viagem para Ilhota para visita prática de Geotecnia. Tudo certo saio na chuva fria não muito forte e chego no ponto de ônibus. Na madrugada enquanto espero vejo como uma parcela de MALtoristas transitam em absurdo excesso de velocidade e ultrapassagens arriscadas, olho o muro ao lado que por diversas vezes foi derrubado/destruído por carros e por aqui devido a essa imprudência “constante”, algumas vidas já foram perdidas.
Vejo o ônibus chegando sinalizo e embarco, consigo uma janela o que em dia de chuva é “fundamental” pois nestes dias os usuários numa frescura aguda de não admitirem um pouco de vento e uma ou outra gota de chuva, mantém todas as janelas fechadas e o ar saturado e úmido se torna um excelente caminho para a contaminação por vírus e outros, é só alguém espirrar ou tossir e pronto, temos vários contaminados.
No assento vou verificando GPS, câmara de fotos, lanche e outros, horário 6:35 ok, tudo certo e fico tranquilo e quase num cochilo prossigo a viagem até a Universidade.  Ao cruzar o túnel ……..OPA, o que estou fazendo aqui? Minha rotina é sempre pegar este ônibus até o centro mas, hoje não era este que eu tinha que embarcar. Chego no terminal e rapidamente, nem olhei para o relógio, corri até outro ônibus que me levaria para a Universidade, alguns minutos depois embarquei e ainda pensei;
-Bem, como sempre tudo se atrasa vou conseguir chegar a tempo ….
Desta vez acho que não atrasou? Ao chegar no local o ônibus da universidade já havia partido ….

Ok, foi por uma desatenção minha mas, mesmo assim o transporte coletivo em Floripa carece muito de “visualização” de informações sobre as linhas e horários. Para quem conhece já é complicado, que vem de fora sofre mais ainda. Há muitos ônibus em linhas diferentes com nomes “muito” semelhantes contendo a palavra “Lagoa” e sem dizer a direção ou sentido e realmente gera confusão. Nas portas de entrada também não há nenhuma “placa ou informação” para rápida visualização da linha no momento do embarque. Nos terminais o que temos são folhas com os horários coladas com fita adesiva em paredes ou vidros que se qualquer pessoas com um pequeno problema  de visão se esquecer os óculos por exemplo, estrá literalmente perdido. E sem nehuma menção dos intinerários, ou seja, para onde e por onde passam os coletivos.
Neste momento já estava aborrecido e me dirigi ao ponto de ônibus para retornar para casa, passava um pouco das 8h e esperava, esperava quando surgiu uma moça e se sentou ao meu lado, perguntei;
-Estás esperando o que vai para a Lagoa?
-Não, mas acho que só 9:30 passa um (verdade, “lembro que aos sábado o número de ônibus é bastante reduzido).
Começo a reparar no estado do ponto de ônibus, sujo, sem informações, com os vidros quebrados, sem proteção da chuva que com um pouco de vento acaba por molhar, quem espera por aqui. O banco é extremamente desconfortável e prefiro ficar de pé (me disseram que o banco é assim para niguém deitar e dormir(?) nele). Vejo o adesivo com o Brasão da PMF e lembro dos discursos que sempre escuto quando falam do transporte coletivo de Floripa;
-Nas outras cidades é pior que aqui.
E daí? Por causa disso o nosso tem que ser assim?
Logo me veio a “mensagem pela imagem” do resto de adesivo;
-O nosso adesivo é melhor que os outros, ele é menos rasgado, dá para ver um pouco, isso é muito bom?
Não gostaria de pensar que nos nivelamos por baixo, dá e temos que melhorar, não podemos ficar assim, é uma questão de respeito e qualidade de vida dos cidadãos.


Reparem na foto do Ponto de ônibus e no meio dele um grande painel azul sem nenhuma informação, um espaço ideal para um mapa e linhas que passam por ali. Resolvi caminhar, tinha tempo e poderia ir até outro ponto. Em certos trechos não há passeios para os pedestres, uma característica ainda muito marcante aqui na Ilha, a da priorização do transporte individual motorizado, e assim sou “obrigado” a caminhar pelo acostamento e neste dia com movimento de relativamente poucos carros, os mesmos transitam muito acima do já elevado limite de velocidade autorizado para uma via urbana. Além do risco pelo mal uso dos motorizados anda temos o caminho cheio de buracos e poças d’água, por isso “carros” não reclamem dos seus caminhos, saiam para caminhar e aí sim vão ver o que é uma via ruim. A chuva fraca 
insistia, quando chegava na subida do morro vejo o ônibus e faço sinal, embarco novamente agora em direção ao terminal da Lagoa.
Bem, depois de utilizar cinco ônibus retorno ao ponto de partida.
4 horas e uma saída de campo (aula) perdidas !!!

Parte do editorial do Diário Catarinense:

2 de julho de 2011 | N° 9218
EDITORIAIS
Transporte e mobilidade

Os problemas da falta de mobilidade no trânsito que já ultrapassaram o limite suportável em Florianópolis e região e da inadequação e precariedade do sistema de transporte coletivo relacionam-se diretamente. Ambos situam-se entre principais fatores que deterioram a qualidade de vida da população. Hoje, um cidadão que depende de transporte público chega a gastar três ou mais horas por dia deslocando-se entre a casa e o trabalho. Não poucos gastam mais com transporte do que com alimentação.
Para ler tudo, aqui o editorial no DC on-line.



Outra ponte?

Definição por mais uma ponte?

Será que não “enxergam”? Não adianta construir mais uma ponte ou túnel para”trazer” mais transporte individual motorizado (carros). Isto não vai resolver os problemas de congestionamentos, na verdade e sendo otimista, em um ano os congestionamentos ficarão piores. Enquanto pensarmos em colocar mais e mais carros para transitar nas ruas de uma cidade e, todas tem restrições de espaço, mais problemas de trânsito teremos? Em vez de gastar dinheiro com obras faraônicas que não resolvem a questão de mobilidade urbana, que se invista em transportes de massa eficientes e sua integração com o transporte ativo, seja em Bicicletas ou a pé. Mobilidade urbana é o cidadão ter a opção de escolher diferentes modais de transporte para seu deslocamento, deixando o transporte individual motorizado como ultima opção.


Fraquejei … Parei … Fiquei … ei?

Posted in Cicloturismo Urbano, Pedala Floripa e Bicicletas por aí..., Pedaladas..., Uncategorized by danielbiologo on 28 de março de 2011

 

Muito antes já pensava no AUDAX Floripa 2011, fiz minha inscrição com bastante antecedência e perdendo o desconto por ter feito na pressa e ainda por cima pagando mais pelo boleto, se tivesse feito direto no Della Bikes teria mais de 10% de desconto.

Divulguei o evento entre amigos e em algumas entrevistas em emissoras de rádio ou seja estava sabendo muito bem o que me esperava no dia 27 de março de 2011.

Dias antes pedi ao Gellea Manutenção de Bicicletas (que fica perto da minha casa) que fizesse uma rápida regulagem e verificação do meu veículo. Tudo pronto era só esperar o dia para pedalar….

Sábado 14h saí de casa, sábados os horários dos ônibus são reduzidos e consegui pegar um logo que saí de casa, depois de  5 km tenho que trocar (?) de ônibus e ter sorte de coincidir com a saída de outro até o centro. Estava pensando em atravessar a ponte Pedro Ivo a pé mas, conversando com outro usuário do transporte coletivo e pela coincidência de que ele pegaria o ônibus que passava e parava logo ao lado da sede da Guarda Municipal de Florianópolis, acabei por ir com ele e “tendo” que pagar mais uma vez, ou seja para andar 17km tenho que pegar três ônibus e gastar R$ 5,90 e fora o tempo perdido, de carro teria apenas o conforto de não ter horário, pois os congestionamentos são decorrentes dele mesmo (priorização do transporte individual motorizado) e ainda tens que buscar onde estacionar e falta espaço para tanto carro ! Devia ter ido de Bicicleta, gastaria pouco tempo, iria na hora que eu quizesse e não teria problemas de estacionamento, opa! não é bem verdade, Floripa não tem Bicicletários, mesmo assim a Bici entra com a gente nos lugares onde vamos e pronto, é mais fácil e seguro que deixar um carro na rua.

Cheguei 1h antes do combinado, dei um rápida arrumada no auditório da Guarda Municipal e esperei a galera chegar. O primeiro foi o Peixoto com os Brevets que começamos a preencher antes da chegada dos ciclistas. Depois peguei meu kit e meu numero 076. Após a entrega, algumas explicações do Milton Della Giustina e pronto, todos em seguida foram até o local onde seria servido o Jantar de Massas” com sorteio de brindes da RoyalPro.

Chegou o diado AUDAX Floripa 2011, 3:00 horas estava de pé, calibrei os pneus da Bici coloquei o número e acertei os detalhes finais. A previsão era de ir pedalando até a largada, mas na noite anterior o Dudu me ofereceu carona, então aceitei e agradeci, estaria economizando 13km antes dos 200km!!! 5:00 h estava na rua, mais uma SC que corta a cidade e por onde motorizados e seus MALtoristas transitam absurdamente acima do já elevado limite autorizado para esta via, (60km/h em área urbana com pedestres e ciclistas = ABSURDO DESRESPEITO A VIDA), levando o RISCO de MORTE a todos que estão nas ruas. Olhava para o poste logo abaixo onde um individuo destruiu o mesmo e se matou (pelo excesso de velocidade). O muro ao meu lado destruído algumas vezes ao ser atingido por carros fora de controle (pelo excesso de velocidade). Logo acima outro muro também arrebentado por outro carro  desgovernado (excesso de velocidade). Diversos atropelamentos de pedestres (excesso de velocidade) que caminhavam pelo acostamento. (eu mesmo já fui atingindo duas vezes, por sorte sem gravidade, mas foram “belos” sustos”) … Esta via como outras de Floripa estão constantemente sendo extremamente mal e mau utilizadas por uma boa parcela de nossa Sociedade, certamente é um reflexo de poucas multas e de baixo valor, aliadas a impunidade da grande maioria. “Não temos indústria de multas, temos sim uma fábrica de infratores”. Tenho certeza que se as multas principalmente pelo excesso de velocidade fossem realmente sentidas no bolso dos MALtoristas, estes seriam “educados”, aplica-se uma vez só e o MAltorista aprenderá por toda sua vida! “94% dos ditos acidentes em SC poderiam ser evitados somente de respeitar o CTB” !

Por quanto tempo ainda será que teremos que conviver com um dos maires desastres ambientais do Brasil ? NOSSO TRÂNSITO !

Chegamos na largada do AUDAX Floripa 2011, verificado mais uma vez meu veículo fui para a inspeção de largada, luzes e Bici ok. Fui para a concentração. Entre mais de 300 Bicicletas, cumprimentando amigos e desejando boa prova e sorte a todos, fomos aguardando a largada. De repente centenas de Bicicletas ocupavam a faixa da direita da Av. Beira Mar Norte e como uma “serpente gigante” íamos nos deslocando pelo asfalto. A passagem pela Ponte Colombo Sales nos brindava com a imagem da LINDA Ponte Hercílio Luz e faziam pensar, porque apenas os carros tem o direito da travessia garantida e segura da Ilha<->Continente?

Logo em seguida estávamos na Cidade de São José e os pelotões estavam se formando, percebi que estava pedalando bem pois estava no pelotão de frente, inclusive fiquei orgulhoso de ter pedalado por alguns Km ao lado do Márcio May e outros ciclistas, mas ao perceber isto também fiquei preocupado pois significava que estava andando “forte”, continuei me sentia bem. Quando chegamos na subidinha logo depois do abraão escapou minha corrente e perdi ritmo, o pelotão se distanciou por algumas centenas de metros e assim continuei a pedalar. Na saída para o bairro José Mendes vi um ciclista parado na dúvida se era para ir pelo túnel ou seguir pela direita, passei por ele, reduzi a minha velocidade e disse, -é por aqui mesmo. Começamos a pedalar lado a lado nos apresentamos. Era o Isac, que ano passado fez a 1001 miglia, ele estava com uma Bici pinha fixa, número 001, bem estilosa até comentei com ele, teu veículo é bem Cycle-chic ! Pedalamos até a Base Aérea, onde nos separamos.

Os dois “incidentes” mais graves foram com ônibus da empresa Insular, que passaram muito rapido e tirando fina propositalmente, pois assim que começam a ultrapassar eles “fecham” tua passagem e se não freias ou desvias alateral do veículo te atinge, isso que são motoristas dito profissionais. Desrespeitam principalmente os Art. 201 e Art. 220 !!!

Fui pedalando sozinho até o PC1, alíás boa parte destes primeiros 50 km pedalava só e cheguei aqui em 2h10min. Comi duas bisnaguinhas e tomei um chá e parti logo em seguida. Estava indo bem, e neste trecho tive que pedalar bem devagar, pois aqui o calçamento é feito com blocos (muitos buracos) e não arrisquei furar um pneu, aproveitei para dar uma descansadinha. No asfalto pedalava a uma boa velocidade. PQP … passando a Armação começou uma cãimbra na perna esquerda, alongava pedalando e comecei a ficar preocupado. Chegando no Pântano do Sul um grupo me ultrapassa e me “sacaneiam”, por estar reduzindo a velocidade. Chegando no Açores os fiscais estavam do lado direito dei uma voltinha para que o lado esquerdo da Bici com o número ficasse visível para que verificassem o mesmo. Retornei pela rótula e retomei a pedalada, a cãimbra diminui, recomecei a pedalar num ritmo melhor.

No calçada encontrei um Senhor em cadeira de rodas com dificuldades naquele passeio/calçamento cheio de buracos, uma verdadeira trilha para cadeira de rodas (?), parei por uns instantes ajudei ela a sair do buraco conversei e me despedi.

Pouco antes do Morro das Pedras uma dor lancinante, como nunca havia sentido no meu pé esquerdo, começo a imaginar “besteiras” começo a achar que o banco está cortando a circulação do sangue na perna, paro tiro a sapatilha, alongo e volto a pedalar, a dor vem, vai, volta … Começo a repensar minha “estratégia” (tinha uma?) e resolvi parar em casa trocar a bermuda, sei lá? Abro a geladeira para pegar água gelada e encontro um barril de cerveja. Vejo carne descongelando na pia, lembro que hoje fazemos 13 anos de casados e começo a pensar (?) ….

FRAQUEJEI …. PAREI …. FIQUEI …. EI?

Foram quase 100km em 4h10min, fiz um meio AUDAX !!!

Acabei desistindo no meio, muitas foram as razões, comecei a criar problemas e observo agora alguns erros de “estratégia; Passar perto de casa e achar que vai ser só uma passadinha, não dá certo, o conforto do lar “corrompe” a mente. Errei ao levar somente um óculos e com a lente amarela, essa lente foi feita para dias nublados (confiei na previsão que disse que seria nublado com chuvas esparsas) e durante a noite, o erro foi ficar com ele no sol, pois devido a isso tive uma bela dor de cabeça pelo efeito do sol e da lente na minha visão.

MINHAS FOTOS AQUI.

Fotos do Audálio, aqui.

Fotos do Marcelo Viramesa, aqui.

Provavelmente o causador do meu “fracasso” neste AUDAX foi:


Como algo que polui o ar que respiramos pode ser um invento bom?

Não é uma questão de ser contra ou a favor ao uso do carro.

É muito mais que isso, o carro foi “integrado”em nossa sociedade e continua sendo enfiado “goela abaixo” de várias maneiras, é só observar os comerciais que “vendem” o carro; Você vai seu mais feliz! -Você vai ser mais bonito! -Com este carro vais sentir a liberdade! -Nada fica à sua frente! -Amor à primeira vista! -Seu status nas ruas! Nada fica em seu caminho!  Paixão à primeira vista! Você feliz? -etc. -etc. -etc.

Você se empolga (na verdade somos enganados) e vai para a primeira concessionária e o vendedor treinado “mostra” centenas de vantagens de ter um carro e que podes pagar em “comodas” 50 parcelinhas ou 60 ou melhor 72 vezes. Comprado o automotor temos agora emplacamento, IPVA, combustíveis (que além do preço poluem o ar que respiramos), óleo, manutenção, mas tudo bem (?) fazem parte deste invento.

O que ninguém pensa ou lembra ou fingimos não ser conosco, é que estamos colocando mais um carro nas ruas. Isto contribui com a falta de espaço e os tão famosos congestionamentos (lembram da liberdade que foi vendida com a imagem do carro e agora você está preso em um congestionamento) e pela absurda poluição do ar que respiramos (que não foram falados nos comerciais, nem pelo vendedor). Vivenciamos isto nas grandes, médias e até nas pequenas cidades e assim o espaço urbano cada vez vai sendo ocupado pelo carro, sim pois para “suprir” a essa enorme “massa”de motorizados temos que asfaltar, transformar áreas verdes em estacionamentos, aterrar o mar para duplicar a avenida, derrubar casas para construir  elevados, viadutos e pontes. E depois ainda temos o profundo desrespeito por uma grande parcela de MALtoristas ao Código de Trânsito Brasileiro, que transformam os carros em arma, acarretando em  um dos maiores Desastres Ambientais, superando guerras e epidemias. E mesmo se respeitássemos as Leis de trânsito (que maravilha seria), apenas a poluição decorrente da queima do combustível fóssil seria (já é) responsável por milhares de mortes todo ano e pela degradação do Meio Ambiente, degradação da Qualidade de Vida!

Pior de tudo é que mesmo muitas pessoas conscientes destes problemas (o carro é apenas mais um) são “obrigadas” a colaborar mesmo que sem querer pela forma como nossa Sociedade está “construída”,  até em decorrência deste capitalismo selvagem que vivenciamos.

A questão é muito mais abrangente que a ação (pensando no coletivo) de uma parcela da Sociedade, deveria ser uma ação de toda a Sociedade mas não, pois o próprio capitalismo “valoriza” apenas o crescimento individual em detrimento de muitos outros. O coletivo só vai surgir quando estivermos em total colapso ambiental, e isto confirma que, como espécie animal o ser humano não é “inteligente”! Será que temos que entrar em total colapso ambiental para aí sim tomar uma atitude coletiva, para conservar nossa Qualidade de Vida?

Experiência própria, quando dias atrás, em um dia extremamente chuvoso perdi o ônibus e se fosse esperar o próximo (poucos horários) com certeza chegaria atrasado para minha aula. Pensei, -Tudo bem, vou com meu carro. Peguei minha pasta e entrei no motorizado e saí sozinho em mais de uma tonelada de ferro poluidor pelas ruas de Floripa.  E lá estava eu em meu carro poluindo e andando pelas ruas. Eu faço parte disso tudo, mesmo sem querer?

Mais uma vez vejo como nossa Sociedade valoriza apenas uma “meia dúzia”de pessoas para que fiquem mais ricos (só em dinheiro) e o cartel do petróleo condiciona a todos que fiquem dependentes deste “estilo” de vida que não é nada bom para a coletividade, para a espécie. Depois vem as tragédias ditas ambientais e aí queremos culpar a quem? Sim somos nós como Sociedade, responsáveis por grande parte delas, nossas ações sobre o Meio Ambiente sem pensar nas consequências futuras, afinal vivemos (ou duramos) pouco tempo e assim o que eu fizer agora, eu não vou “colher” ou sentir depois, deixarei meu legado destrutivo para as próximas gerações!

Acorda Sociedade, Em nome da Vida !