Danielbiologo's Blog

Bicicleta não é perigoso !!!

“Dizem que andar de  Bicicleta em Floripa é  perigoso.
Mas perigoso mesmo, é a forma como se “permite” dirigir motorizados na região da Grande Florianópolis.” 

Sempre que “reclamo” (com muita razão) da forma como os motorizados transitam por nossas ruas e estradas, dizem que sou exagerado! Estas pessoas que não acham que as ruas são assim, provavelmente só andam de carro, pois aqueles que caminham e pedalam concordam comigo e até dizem que sou “bonzinho” ao relatar as barbaridades que uma grande parcela de motoristas fazem, os quais denominei “MALtoristas” (de dirigir mal mesmo) por desrespeitar as regras de trânsito e o Bom Senso quando ao comando(?) de um automotor. Talvez existam uma minoria que são “MAUtoristas” de malvados mesmo.
Em Santa Catarina 94% dos ditos acidentes (sinistros de trânsito), são decorrentes da imprudência e irresponsabilidade por parte de significativa parcela de MALtoristas e outros integrantes do trânsito, aliados a IMPUNIDADE,  que acarretam em vítimas e mortes, possíveis de serem evitadas !!!

Existe atualmente uma enorme “demanda reprimida” de pessoas que gostariam de sair para a rua, seja para caminhar ou andar de Bicicleta.
Infelizmente a Bicicleta não é a solução, mas é grande parte, para os gigantescos problemas de Mobilidade Urbana que quase todas as cidades  estão sofrendo devido a priorização do Transporte Individual Motorizado ou simplesmente carros. Se ao menos houvesse respeito as regras de trânsito e uma boa redução da velocidade permitida aos automotores dentro dos perímetros urbanos, certamente 20 a 40% das pessoas utilizariam as Bicicletas, praticamente o mesmo percentual de carros a menos nas ruas. Em Copenhagen por exemplo, 55% das pessoas utilizam a Bicicleta para seus deslocamentos diários.

Sim eu “sofro” ameaças e risco de morte todos os dias, simplesmente porque prefiro me deslocar pela cidade a pé, de Bicicleta.  Utilizo também  o ineficiente e caro transporte coletivo de Floripa e como última e pior opção para a cidade e seus moradores de sair com meu carro, que acabo por usar mais do que gostaria, pelos problemas provenientes dessa falta de respeito e de políticas para a implantação de estruturas cicloviárias e “fortalecimento” e eficiência dos transportes de massa – custo x horário x limpeza…
A falta de “interesse” é (?) provavelmente por pressão da indústria automobilistica. Em vez de investir milhões, bilhões em viadutos, elevados, túneis e duplicação de vias, se esse mesmo dinheiro fosse investido em estruturas cicloviárias e no transporte coletivo em alguns anos estaríamos criando Cidades para as Pessoas e solucionando a questão da Mobilidade Urbana. Cidades foram feitas para as pessoas viverem e atualmente, em média, temos 60% do espaço urbano ocupado em função dos carros, temos que restringir o acesso dos mesmos devolvendo o espaço público para as pessoas.
E ainda tenho que escutar, por andar de Bicicleta em Floripa: – Você vai morrer! -Rua não é lugar de pedalar, por isso cedo ou tarde você vai ser atropelado! -Andar com os carros é pedir para morrer! -Se cruzar minha frente, o que posso fazer?
E assim frases semelhantes são recorrentes e pior algumas vezes com tom de fala, como se estivessem cobertos  e cheios de razão.
Quer andar de carro, ande. Mas respeite as regras de trânsito e principalmente os elementos mais vulneráveis que integram o trânsito.

RESPEITE PEDESTRES E CICLISTAS. POR FAVOR.

Cidades para as Pessoas.

A cidade boa para os mais frágeis é a melhor para todos“. Pedro Lessa


Anúncios

7 Respostas

Subscribe to comments with RSS.

  1. […] que vem de fora. A máquina Assassina. Bicicleta não é perigoso. Respeite as regras de trânsito. Violência. Velocidade Urbana. O perfil do infrator. Velocidade […]

  2. […] Temos uma demanda reprimida muito grande de pessoas que gostariam de caminhar mais e utilizar a Bici…  […]

  3. […] Art. 201. Deixar de guardar a distância lateral de um metro e cinqüenta centímetros ao passar ou … […]

  4. […] Sábado, acordo bem cedo e “chove lá fora”, penso como irei para a aula. Estou a 10km da Universidade e se for de ônibus tenho que pegar dois (irritante desintegração coletiva), decido, vou de bike, mesmo com chuva. Preparo a mochila e os sacos plásticos “reutilizados” para levar roupa e outras coisas que não podem molhar. Levando uma muda de roupa seca me trocaria ao chegar. Cheguei cedo pois de Bicicleta não perdemos tempo, seja esperando os horários de ônibus ( muito poucos e menos ainda nos finais de semana em Floripa) ou tendo que tirar carro da garagem, depois estacionando e fora os ga$to$. Mesmo sem congestionamento intenso a diferença entre a Bicicleta e o carro em 1okm é de uns 10min, ou seja é muito mais saudável ir de Bicicleta, pois você não polui, não contribui com os congestionamentos, traz saúde para si próprio e para a cidade. E com todas estas vantagens ainda há muitas pessoas que não utilizam a Bicicleta como transporte e sabem porque? Pelo individualismo egoísta de uma boa parcela de MALtoristas que não respeitam a VIDA e muito menos o Código de Trânsito Brasileiro, prejudicando-se duplamente ao favorecer o sedentarismo preguiçoso de andar de carro e de afugentar novos ciclistas, que automaticamente serão; “um carro a menos nas ruas” (menos carros=menos congestionamentos). Um detalhe que passa desperciebido por quase todos é a destruição das “coisas” que ficam próximas aos caminhos dos carros, reflexos do excesso de velocidade e impunidade instaurada em nossa Sociedade, ver o poste ” destruído por um carro sendo “amparado por um pedaço de pau! (são alguns postes assim na subida do morro e o cu$to do con$erto é pago por todo$) Outro problema é a enorme quantidade de vidro, maior parte de garrafas de cerveja jogadas no chão, e estes cacos são responsáveis pelos frequentes furos em pneus e até corte nos pés das pessoas que caminham por aqiui. Hoje não foi diferente, inclusive levei um susto pois meu pneu esvaziou rápido e quase perdi o controle do meu veículo. Parei para trocar a câmara, lembrando que na sexta na bicicletaria eu elogiava o pneu da minha dobrável e que nela não usava a fita anti-furo, hoje furou! […]

  5. […] respeitem o CTB)(Bicicletas e o respeito às Leis)(Bicicleta não é perigoso) “Se quisermos realmente um trânsito mais seguro é imprescindível uma drástica redução […]

  6. […] resultado dos projetos viários que priorizam os carros e da falta de infraestrutura nas rodovias. -Andar de bicicleta não é perigoso. O que é realmente perigoso é dar ao motorista chances dele correr mais, realizar obras sem […]


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: